Pular para o conteúdo principal

A Realidade do Campo

O Haiti está em reconstrução!
Cinco anos após a maior catástrofe natural da história recente do país, é visual o processo de reconstrução iniciado de maneira mais intensa e contínua a partir de julho 2013. A pavimentação de ruas, avenidas e rodovias, o choque de ordem para o reordenamento urbanístico, melhoria das estruturas físicas e administrativas dos órgãos estatais, do porto, dos aeroportos, novas escolas e aumento da oferta de vagas públicas, realocação das famílias vítimas do terremoto de 2010, e ainda, maior presença efetiva da Polícia Nacional (PNH) nas ruas, tudo isso são exemplos deste novo tempo em nosso Campo.
A ONU mantém sua Missão de Paz no território haitiano, cujo comando e maioria militar permanece brasileiro. Isso faz com que vivamos um clima de segurança vigiada. Os dados de criminalidade nos grandes centros são similares ao de cidades brasileiras como Palmas e Curitiba.
Contudo, o processo de estabilização política e governança do país ainda sofre com o alto índice de corrupção, lentidão nos avanços processuais e fragilidade das estruturas atuais. Há três anos não são realizadas as eleições legislativas e regionais, e o Congresso está funcionando em regime especial com apenas ¹/3 da casa. Eleições gerais são esperadas para esse ano já previsto para o terceiro pleito presidencial sob o mandato da MINUSTAH. Esse quadro fomenta incertezas quanto ao futuro das conquistas atuais e dos rumos da presença da ONU no país. A força militar estrangeira tem previsto para 2016 uma importante avaliação com possibilidade de sofrer diminuição e avançar para o seu fim – caso a PNH alcance os 15 mil policiais na ativa e capacidade operacional para prover a segurança do país.
Nossas pesquisas indicam que são três os principais bolsões de miséria da Zona Metropolitana da Capital: Cité Soleil (320.000), Canaan (150.000) e os Acampamentos de desabrigados (80.000 segundo relatório dez14 da OIM/ONU).
Alguns outros dados[1] evidenciam a dura realidade daquele que ainda é o país mais pobre das Américas:




HAITI 2014
Superfície
27.750 km²
-
População
10.579.230
Estimativa 2014
Juventude
41%
(-18 anos)
PIB por Habitante
U$ 760,00
(Anual)
Participação dos Principais
Setores da Economia no PIB
23%
18%
59%
Setor Primário
Setor Secundário
Setor Terciário
Taxa de Desemprego
40%
-
Taxa de Desocupação
28,9%
-
Pobreza Extrema
24,7%
58,6%
(- U$ 1,25/dia)
 (- U$ 2,50/dia)
IDH
0,471
(168º/187)
Taxa de Alfabetização
85,1%
(15 a 24 anos)
Taxa de Frequência Escolar
88%
(Ensino Fundamental)
Taxa de Mortalidade Infantil
88%o
(- 5 anos)
Cobertura Vegetal
2,2%
-
RELIGIÃO
Evangélicos

49,0%
Dados extraídos da  Enquete Nacional EMMUS V, promovida pelo Instituto Haitiano da Infância em parceria com o Instituto Haitiano de Estatísticas e Informática, em 2012.
Católicos
40,5%
Voduístas
1,5%
Sem Igreja
9%




[1] Extraído do Relatório do Conselho Econômico e Social do Haiti, publicado em 08 de outubro de 2014; e do Relatório Anual 2014, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, PNUD Haiti.

Postagens mais visitadas deste blog

Sopa Receita Joumou - Sopa da Liberdade!

Pra quem gosta de cultura e culinária, ta aí a Sopa da Liberdade!
Era um prato dos Colonizadores, e os escravos não tinham acesso, até à sua Independência. A partir daí, anualmente, no dia 1º de Janeiro (Dia da Independência) eles a celebram degustando essa prato tipicamente Haitiano. Uma boa dica para as Feiras Missionárias no Brasil!
Sopa Receita Joumou
Sexta-feira, 4 de marco de 2011 16:24



O prato monumental da Revolução haitiana, Sopa Joumou, sopa de abóbora, E o Prato De conquistadores. E tradicionalmente servido no Dia da Independência do Haiti, 01 de janeiro, Como hum começo Saudável par o Outro ANO.

Ingredientes
- 1 kg de carne faça Pescoço OU rabo de boi
- 1/2 limão
- Sal fino
- Esmagado pimenta preta
- Água (Suficiente parágrafo cobrir uma carne; Mais Água podem Ser adicionados Mais Tarde parágrafo ajustar uma consistência)
- 2 kg abóbora, descascados e cubbed (alternadamente, utilizar abóbora enlatada)
- 1 cebola Pequena Cortada los cubos
- 2 Talos cebolinha verde picada
- 4 Dentes de…

Pós Furacão Matthew... oportunidade de fazer a diferença!

Nossa família e Equipe missionária estão bem, graças a Deus!
Já estivemos lá na região analisando os danos, prestando uma ajuda inicial a algumas famílias, e elaboramos uma proposta de Plano de Ação Emergencial para nossa agência. Estamos aguardando a decisão do Gabinete de Crise da Junta para agir em favor das vítimas. Ore por isso, ok?
Nesse momento o que é mais urgente é alimento e a restauração dos telhados e casas afetadas pelos ventos. Como a logística de armazenamento, transporte e envio do Brasil para o Haiti é bastante cara, demorada e vulnerável a questões aduaneiras, nossa sugestão é para que enviem recursos financeiros, e o que for arrecadado aí, como roupas, sapatos e outros itens, vocês realizem Bazares e Eventos (almoços ou jantares) para reverter os itens arrecadados em recurso financeiro que será bem mais facilmente transferido e revertido aqui na economia local, em alimentos e materiais de construção.
Para ajudar:
1) Através do "Ajude Agora Haiti" coordenad…

Moringa e Chocolate "Made in Haiti" chegam ao Mercado Norte-americano

Porto Príncipe, 25 de fevereiro de 2016.
Por Haiti Libre

Dois novos produtos haitianos estreiaram no mercado Norte-americano no começo de fevereiro através da Rede "Whole Foods Market", em escala nacional: a "Moringa Green Energy", das Indústrias Kuli Kuli, e as barras de chocolate "Taza Chocolate". Os ingredientes destes dois produtos são comprados diretamente de pequenos produtores agrícolas do Haiti. Este acesso direto ao Mercado, combina ajuda aos agricultores melhorando e desenvolvendo suas capacidades, o que significa um aumento da renda, e beneficiamento dos consumidores nos Estados Unidos de produtos de alta qualidade.
No caso da Moringa, a pioneira é a Organização sem fins lucrativos "Smallholder Farmers Alliance (SFA)", com o apoio da Fundação Clinton. E para os grãos de cacau utilizados na fabricação das barros de chocolate, é a Companhia "Produits des Iles S.A (PISA)".
"Nós ajudamos a conectar os agricultores haitianos di…