Pular para o conteúdo principal

A Primeira Igreja Batista de Porto Príncipe completa 180 anos


Le Nouvelliste, 1º de fevereiro de 2016.
Por: Louis-Joseph Olivier
Tradução: André Souto Bahia


A Primeira Igreja Batista de Porto Príncipe celebrou seus 180 anos de existência no último domingo 31 de janeiro. Um culto de ação de graças foi organizado no templo localizado na Rua "de la Réunion". Uma ocasião para os líderes da assembléia e da comunidade protestante unirem suas vozes aos membros da Igreja em um concerto de louvor e ação de graças a Deus.

Pr. Josué Mathieu - Presidente da PIB de Porto Príncipe.
O santuário da Rua "de la Réunion" estava lotado no domingo 31 de janeiro. Os membros em suas melhores roupas, e os convidados especiais, disputavam um lugar antes do começo do segundo culto. O ambiente não era o habitual com o interior do templo repleto de rosas. A PIB de Porto Príncipe, a maior congregação batista do País e do Mundo Francofônico, estava pronta para celebrar seus 180 anos de existência.

Os responsáveis da Igreja, que pertence à Convenção Batista, os representantes das Igrejas irmãs, das missões e das Instituições Evangélicas ocuparam seus lugares ao lado do colégio pastoral dirigido pelo Reverendo Pastor Josué Mathieu. "Uma Igreja construída sobre a Rocha", foi o tema escolhido para esta celebração solene realizada com muitos cânticos de louvor, salmos e gritos de "Aleluia", semelhante ao texto de ação de graças lido pelo pastor Wadestrant Jean Baptiste, Deão do Seminário Teológico Evangélico de Porto Príncipe. Junto a tudo isso foi oferecido um concerto de louvor pelos grupos de cânticos e corais presentes.

A Mensagem Oficial foi pronunciada pelo Rév. Dr. Moïse Joël Dorsainvil, que exortou a Igreja cumprir sua missão de evangelização por toda Porto Príncipe e por todo o País. Ele afirmou: "porque o número de anos não os coloca à salvo diante das tentações do mal". O pastor Dorsainvil elogiou, particularmente, a fraternidade e o amor que caracterizam a Assembléia da Rua "de la Réunion" à qual chamou de comunidade do amor e do serviço.

Sua bela história teve início em uma manhã de janeiro de 1836. O pastor e missionário afro-americano William Monroe, e outros doze irmãos e irmãs realizaram o primeiro culto na casa do pastor Monroe. Depois, a PIB de Porto Príncipe não parou de crescer independente do tempo e das circunstâncias. Ao longo da sua história, a Igreja foi dirigida por uma série de líderes que marcaram o meio evangélico e a sociedade haitiana por sua competência e dinamismo. Entre estes, destacamos o Dr. Ruben Marc, uma das mais importantes figuras do protestantismo haitiano do Século XX; o Pr. Fritz Fontus, a voz de outro do protestantismo haitiano; como também o Dr. Charles Poisset-Romain, e o Reverendo Pierre Amos Gabaud, reconhecido por seu rigor e sua grande contribuição para o crescimento da congregação.

Templo da PIB de Porto Príncipe durante o Culto de Ação de Graças pelos seus 180 anos de fundação.

"Depois de 180 anos, uma grande nuvem de testemunhas, seis gerações de homens, mulheres, jovens e crianças responderam e não cessam de responder ao chamado do Mestre, escrevendo nos anais desta congregação jubilosa suas páginas de ouro", declarou o Dr. Charles Poisset-Romain, membro do corpo de anciãos da Igreja durante sua homenagem. Do alto dos seus 180 anos, o Pr. Romain descreve a PIB de Porto Príncipe como uma "comunidade sempre bela, educadora, próspera e vitoriosa.

O presidente da Federação Protestante, Pr. Sylvain Exantus, esteve presente. Ele aproveitou para saudar o ministério desta Igreja. "Primeira Igreja Batista de Porto Príncipe: a Federação Protestante do Haiti é reconhecedora do ministério eficaz que vocês tem exercido no País, e nós nos orgulhamos muito de tê-los como um dos nossos membros através da Convenção Batista do Haiti", sinalizou o presidente da FPH em seu discurso agradecendo o trabalho realizado pela congregação da rua "de la Réunion".

Estes 180 anos de história não foram todos fáceis. A Assembléia conheceu horas difíceis ao longo do percurso. Recentemente, em 2014, o templo passou próximo de ser saqueado por conta das demolições de áreas do centra da Cidade. Em seguida, o templo, isolado em uma região perigosa, se viu diante da insegurança de várias formas. O principal pedido do Pr. Josué Mathieu às autoridades do País é pelo patrimônio desses 180 anos: "que o Estado possa definir um perímetro de segurança em torno do edifício". Um grande gesto que irá ajudar a proteger seu patrimônio.

As atividades em comemoração aos 180 anos de fundação da PIB de Porto Príncipe acontecerão durante todo o ano, segundo o responsável pela comunicação da festa, Robenson Geffard: "Além deste culto oficial e da clínica móvel organizada na semana passada, nós iremos ter outras atividades como uma feira agro-artesanal, uma exposição de fotos retratando a história da Igreja, a realização de um documentário, entre outras" - informou Robenson Geffard à imprensa.

Postagens mais visitadas deste blog

As Bolachas de Barro existem mesmo no Haiti ?

Logo que comecei a pesquisar e ler sobre o Haiti, depois de janeiro 2008, sempre ouvi falar (e ler) sobre as tais Bolachas de Barro que os haitianos comiam por causa da miséria e não terem nada mais para comer. Quando aqui pisei pela primeira vez, em julho de 2009, junto com Verônica, essa era uma das "coisas" que a gente planejou ver, mas, mesmo indo a umas oito comunidades diferentes, da Capital e no Interior, passado um dia inteiro com amigos militares dentro das Instalações do BRABAT, e ainda pernoitado na casa de amigos haitianos antes de retornarmos ao Brasil via República Dominicana, não nos deparamos com ninguém que as comesse ou mesmo vendesse.

Nas duas experiências seguintes (outubro 2010 e janeiro 2012) também não encontramos nenhum vestígio dos tais "biscoitos de barro haitianos". Mas, enfim, em 2014, durante um programa sócio-missionário desenvolvido em parceria com a 2ª Companhia de Força de Paz do BRABAT, em Cité Soleil que durou 5 dias, ao visitarmo…

Moringa e Chocolate "Made in Haiti" chegam ao Mercado Norte-americano

Porto Príncipe, 25 de fevereiro de 2016.
Por Haiti Libre

Dois novos produtos haitianos estreiaram no mercado Norte-americano no começo de fevereiro através da Rede "Whole Foods Market", em escala nacional: a "Moringa Green Energy", das Indústrias Kuli Kuli, e as barras de chocolate "Taza Chocolate". Os ingredientes destes dois produtos são comprados diretamente de pequenos produtores agrícolas do Haiti. Este acesso direto ao Mercado, combina ajuda aos agricultores melhorando e desenvolvendo suas capacidades, o que significa um aumento da renda, e beneficiamento dos consumidores nos Estados Unidos de produtos de alta qualidade.
No caso da Moringa, a pioneira é a Organização sem fins lucrativos "Smallholder Farmers Alliance (SFA)", com o apoio da Fundação Clinton. E para os grãos de cacau utilizados na fabricação das barros de chocolate, é a Companhia "Produits des Iles S.A (PISA)".
"Nós ajudamos a conectar os agricultores haitianos di…

Brasil deixará Haiti em 2016: 'Serei o último a partir', diz general

Luis Kawaguti Da BBC Brasil em São Paulo
23 outubro 2015



"Em outubro de 2016, as últimas tropas da ONU vão partir do Haiti. Vou ficar para o último avião e encerrar a missão militar", afirma à BBC Brasil o general brasileiro Ajax Porto Pinheiro, que assumiu há cerca de dez dias o cargo de comandante-geral das forças da ONU no país caribenho e coordenará no próximo domingo a segurança das eleições presidenciais haitianas.

O Conselho de Segurança da ONU determinou neste mês que a Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti) termine no dia 15 de outubro de 2016, ocasião em que a comunidade internacional espera que um novo presidente haitiano já esteja exercendo seu mandato.

O Brasil comanda o setor militar da missão desde seu início em 2004. Até agora, o governo brasileiro previa que seus 850 militares começassem a voltar para casa em algum momento no ano que vem. Mas uma data oficial não havia sido estabelecida.

Até outubro de 2016, a missão será mantida com o …