Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2013

Haiti tenta se reerguer como destino turístico

BBC Brasil - Vídeos e Fotos




Poucos turistas aproveitam lindas praias haitianas


O Haiti é, atualmente, o país menos visitado das Ilhas do Caribe, que recebem um total de 40 milhões de turistas por ano.

Nem sempre foi assim. Na década de 70, o país eram um dos destinos turísticos mais procurados da região.

Atualmente, o governo luta para mudar a imagem de pobreza do país e superar as marcas de desastres, como o terremoto de 2010.

Para estimular o setor, o Ministério do Turismo está construindo locais à prova de terremotos em praias como a da cidade de Jacmel, no sul do país.

Países integrantes da Petrocaribe terão zona econômica comum

Jornal do Brasil





Bogotá - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que no final de junho entrarão em vigor os convênios de criação da Zona Econômica do Acordo Energético da Petrocaribe. O anuncio foi feito durante a visita de Maduro à Nicarágua neste fim de semana.

Criada em 2005 pelo presidente Hugo Chávez, a Petrocaribe se caracteriza pelo convênio que possibilita a venda do petróleo venezuelano a preços mais baixos para 17 países caribenhos: Antígua e Barbuda, Bahamas, Belize, Cuba, Dominica, Granada, Guatemala, Guiana, Cuba, Haiti, Honduras, Jamaica, Nicarágua, República Dominicana, São Cristovão e Névis, São Vicente e Granadinas, Santa Lúcia e Suriname.

Com a zona econômica, os países do grupo querem expandir os convênios econômicos e financeiros na área comum. Segundo Maduro, a maior integração econômica fortalecerá os países da chamada Aliança Bolivariana, integração política idealizada por Chávez.

O presidente Maduro declarou que mais detalhes sobre a integração eco…

ONU anuncia nova chefe da Missão de Estabilização no Haiti

Rede Brasil Atual
por nicolau publicado 31/05/2013 17:02

Diplomata Sandra Honoré, de Trinidad e Tobago, assumirá no dia 15 de julho cargo na missão que tem grande participação brasileira
OEA/JUAN MANUEL HERRERA

Diplomata de carreira, Sandra Honoré trabalhou na OEA
e foi embaixadora de Trinidad e Tobago na Costa Rica


São Paulo - A Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu a diplomata Sandra Honoré, de Trinidad e Tobago, como representante especial e chefe da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah). O anúncio foi feito hoje (31), pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Liderada militarmente pelo Brasil, as forças de paz estão no país desde 2004.

Honoré assumirá o cargo no dia 15 de julho de 2013, no lugar do chileno Mariano Fernández Amunátegui, que completou sua missão em 31 de janeiro de 2013. O secretário-geral agradeceu a determinação e liderança de Amunátegui na Minustah durante um período crítico para o Haiti, quando houve a transição para um novo gove…

Precisamos definir metas até 2016, diz chefe da Missão da ONU sobre retirada de tropas do Haiti

ONU Brasil
31 de maio de 2013



Menina haitiana em campo de deslocados em Porto Príncipe. Foto: UNIC Rio/Damaris Giuliana

“O sucesso de uma missão de paz é medido quando esta se retira”, afirma o chefe da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH), Nigel Fisher.

Segundo ele, é preciso estabelecer metas até 2016 com base na consolidação do Estado de Direito; no fortalecimento da Polícia Nacional do Haiti; na transferência da gestão eleitoral e na governança.

Em entrevista ao Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), Fisher destacou os avanços da Missão para a manutenção da paz no país caribenho e os desafios a serem superados.

Abaixo, os principais trechos da entrevista:

A MINUSTAH está completando nove anos. Como o senhor avalia essa trajetória?

Fisher: No início de 2004, o Haiti se encontrava em uma situação de enorme instabilidade, no limiar de uma guerra civil, com presença de forças paramilitares e irregulares em várias partes de seu terr…

PM exporta programa de UPPs para o Haiti

Diário do Grande ABC



O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), e o primeiro-ministro do Haiti, Laurent Lamothe, assinaram nesta sexta-feira, 24, termo de cooperação entre a Polícia Militar fluminense e a Polícia Nacional haitiana. O objetivo do convênio, que tem duração inicial de dois anos, é trocar informações sobre o programa de pacificação de regiões conflagradas no Rio, iniciado em dezembro de 2008 com a inauguração da primeira Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), no Morro Dona Marta, em Botafogo, zona sul da cidade.

O País caribenho precisa fortalecer suas forças de segurança, já que o cronograma da ONU prevê retirar gradualmente de lá até 2016 todos os militares estrangeiros que participam da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah). O Brasil está no comando militar da missão.

"O convênio se deu pela fase que a PM do Rio está passando, a partir das UPPs. Esse projeto vai ao encontro do que o Haiti viu como necessário para implantar no processo d…