Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2012

Brasil vai ajudar Haiti a formar sua própria força de segurança

Sonda Brasil - Notícias atualizadas do Brasil e do mundo

Brasília – O governo brasileiro decidiu atender ao pedido do governo do Haiti e ajudar na formação de uma nova força de segurança no país caribenho. A decisão foi comunicada pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, em reunião hoje (26) com o ministro hatiano da Defesa, Jean Rodolphe Joazile.

De acordo com o Ministério da Defesa, nas próximas semanas, o Brasil deverá enviar ao país uma missão com integrantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica para estudar formas de ajudar o país. "É um pedido do governo do Haiti de nós cooperarmos nessa linha. Estamos, agora, começando a trabalhar nas modalidades de como essa ajuda pode ser prestada", declarou o ministro da Defesa Celso Amorim, após um almoço com as autoridades haitianas.

Não haveria ajuda, segundo Amorim, se o governo brasileiro não tivesse obtido do governo haitiano a garantia de que o Exército do país não funcionará como "milícia pessoal", como ocorreu …

Como o trabalho voluntário pode ajudar sua carreira

EXAME.com


Crianças carentes: número de empresas brasileiras, de todos os tamanhos,
que apoia comunidades e instituições é grande e crescente

São Paulo - No dia 12 de janeiro de 2010, um terremoto de sete graus na escala Richter, no Haiti, causou a morte de 200 000 pessoas, deixou outras 300.000 feridas e fez mais de 1 milhão de desabrigados. Dois dias depois da tragédia, uma dupla de médicos do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, chegava a Porto Príncipe, capital do país, com a missão de encontrar um local que servisse de enfermaria improvisada e de preparar a chegada de três equipes do hospital, mais toneladas de equipamentos, remédios e materiais.

No dia 4 de fevereiro, 49 profissionais — médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e engenheiros —, que se voluntariaram a cuidar das vítimas, começaram a chegar ao país. Entre os que passaram pelo Haiti estão a enfermeira Débora Puntel, de 40 anos, e o infectologista Alexandre Marra, de 36 anos.

No acampamento montado em Porto Prín…

Casas de baixo custo resistentes a terremotos

Inovação Tecnológica
Redação do Site Inovação Tecnológica - 25/07/2012


O sistema de alvenaria integral usa um conjunto entrelaçado de suportes feitos
com barras de aço de construção - ou vergalhões -, as mesmas usadas para
a construção de lajes e concreto armado. [Imagem: Orta et al.]


Sistema de alvenaria integral

Engenheiros da Universidade Politécnica de Madri, na Espanha, projetaram e construíram várias casas de baixo custo resistentes a terremotos.

Embora países ricos, como o Japão, detenham grande tecnologia para a construção de edifícios resistentes a abalos sísmicos, o Haiti não se recuperará tão cedo do terremoto que devastou o país em 2010.

Foi pensando em criar uma alternativa de baixo custo, acessível para regiões mais pobres, que Belén Horta e seus colegas desenvolveram um novo sistema de construção, que eles batizaram de IMS (Integral Masonry System: sistema de alvenaria integral).

Antiterremoto de baixo custo

Os resultados dos testes práticos, com construções reais, feitas com v…

TV é distração para pobres no Haiti

Reproduzido da Folha de S.Paulo/The New York Times, 23/7/2012; intertítulos do OI

Dois anos e meio depois do terremoto que devastou o Haiti, a vida neste país pode ser uma luta. “Nem pude comprar um presente decente de Dia das Mães para minha mãe”, queixou-se Soraya. “Acabei gastando minha mesada e comprando para ela uma passagem para Paris. Não é nada de especial, mas o que vale é a intenção, certo?”

Soraya é uma das personagens de um programa de humor da TV, Regards Croisés. Ela é uma caricatura de uma “zuzu”, ou garota rica e fútil da elite. As zuzus são muito comuns em Miami e em Paris, mas difíceis de encontrar nos morros de Porto Príncipe, onde fazem compras, vão à academia e a festas apenas atrás de muros altos com arame farpado e primaveras em flor. Elas se comunicam no “dialeto das zuzus” – um misto de crioulo, francês e inglês, falado em voz aguda e afetada. Todo sábado à noite, os haitianos se divertem, rindo da afetação de Soraya.

Regards Croisés (Pontos de Vista) está no …

Governo do Haiti modernizará portos para promover comércio

Fonte: Guia Maritimo


O governo do Haiti dará início a um plano de investimentos aos portos do país. O intuito é estimular o comércio, promover o turismo e atrair investimentos, segundo Alix Célestin, diretor da Autoridade Portuária Nacional.
De acordo com o executivo, está prevista para outubro a reinauguração do principal porto do Haiti, devastado pelo terremoto que atingiu a região em janeiro de 2010 e essa reabertura deve facilitar os negócios e reativar a atividade comercial local.

Coiotes vendem aos haitianos ilusão de grandes salários no Brasil

EMRONDONIA.COM
22/6/2012 - 09:42 - ( Nacional )



Coiotes vendem aos haitianos ilusão de grandes salários no Brasil
Do Portal Terra


Sob a promessa de salários atraentes, a atuação dos chamados coiotes "pessoas que prestam serviço de atravessar fronteiras ilegalmente" tem sido responsável pela imigração dos haitianos ao Brasil, intensificada desde dezembro de 2011. Com três roteiros básicos, os coiotes aperfeiçoam os itinerários de viagem de acordo com a vigilância estabelecida pelos países envolvidos.

Há um ano e meio, o funcionário da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Acre, Damião Borges de Melo, foi transferido para Brasileia, município na fronteira com a Bolívia, com o objetivo de implantar e coordenar as ações humanitárias aos haitianos. Neste período, ele colheu informações sobre as rotas e forma de atuação dos coiotes.
Segundo ele, os relatos mostram que o maior problema está no próprio Haiti. "Os coiotes de lá iludem os haitianos com a história de que, no B…

Equador assina convênio de cooperação à reconstrução do Haiti

O Repórter | Mundo
Redação - 12 de julho de 2012 às 13:06

QUITO (ANSA) - Os governos do Equador e do Haiti firmaram um convênio de cooperação para continuar com a reconstrução do país caribenho devastado por um terremoto em janeiro de 2010, que provocou a morte de mais de 200 mil pessoas.

A assinatura do acordo contou com a presença dos presidentes do Equador, Rafael Correa, e do Haiti, Michel Martelly, que realiza uma visita oficial a Quito.

Cartinha Missionária. Delícia!

Sem dúvidas, é através destas "pequeninas coisas" que o Senhor cuida, trata e fortalece quem está no Campo! Nossa gratidão às professoras, e em especial, a Aline Almeida, Estela Maia e Maria Eduarda (Duda). Embora hoje, provavelmente, não consigam ler e entender bem o sentido do que fizeram, quando lerem essa mensagem, saibam que o Senhor as usou para falar conosco aqui no Haiti.

O Senhor as abençoe e as guarde, hoje e sempre!
Da sua Família Missionária Por Um Novo Haiti

Conheça os países mais problemáticos do mundo

Brasil/Mundo | Primeira Edição
R7

Jerome Delay/AP

Na foto, somalis coletam água no campo de refugiados em Dadaab, leste do Quênia.


A lista dos "Estados falidos" lançada anualmente em parceria entre a revista Foreign Policy e o Fundo pela Paz investigou 177 países e classificou 52 deles como "cartões postais do inferno".

Foram avaliados 120 pontos que indicam altos níveis de pobreza. Entre eles, estão os cuidados com a saúde, a falta de infraestrutura e a fome. Mas também foram levados em conta problemas como ditaduras, tensões étnicas e corrupção. No geral, o índice avalia a capacidade das estruturas estatais em fornecer condições básicas de sobrevivência — como saúde, habitação e segurança — ao cidadão.

O pior do mundo: Somália

Há muitas razões para a Somália estar no topo da lista de "Estado falidos" por cinco anos consecutivos. Apesar do reconhecimento internacional da Transição do Governo Federal que assumiu o controle da capital, Mogadishu, no ultimo mê…

Ocha aponta melhora nas condições sanitárias no Haiti

O Repórter | Mundo

Redação - 02 de julho de 2012 às 17:05

NOVA YORK (Rádio ONU) - O Escritório para Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU, Ocha, afirma que as condições sanitárias para os deslocados no Hati "melhoraram consideravelmente" nos últimos meses.

O Ocha cita uma doação de US$ 3,5 milhões, equivalentes a cerca de R$ 7 milhões, feita no começo do ano pelo Fundo Central de Resposta a Emergências. O dinheiro permitiu que agências da ONU, como o Unicef, lançassem projetos para eliminação de resíduos.

Cólera

Ainda de acordo com o departamento da ONU, desde março, houve melhora no sistema de esgoto em 120 campos de deslocados e queda de um terço dos sanitários a céu aberto.

Segundo o representante do Ocha no Haiti, Herbert Schembri, sem esse trabalho, haveria um maior risco da população contrair cólera, especialmente durante a época de chuvas.

Ameaça

Apesar de queda de 75% nos deslocados desde o terremoto, mais de 390 mil haitianos ainda vivem em acampamentos. A maior…