Pular para o conteúdo principal

OS ZUMBIS - CONSCIÊNCIA CORRUPTA E CORRUPTÍVEL

A Colunista Sonia Regina Lunardon Vaz propõe uma reflexão sobre Zumbificação nos tempos modernos, como um processo psico-social, contribuindo com uma pesquisa histórica que nos ajuda a conhecer um pouco melhor a respeito desse fenômeno místico-religioso tão presente na história e realidade haitiana.
Se você se interessa por reflexões de cunho filosófico e social rebuscadas, vale a pena acessar o site original e ler o artigo na íntegra. Muito bom!

Colunistas - Bonde

As histórias de zumbis têm origem no sistema de crenças espirituais do Vodu afro-caribenhos, que contam sobre trabalhadores controlados por um poderoso feiticeiro. O ser humano morto volta à vida com o intuito maligno de servidão ao seu invocador.

Um zumbi é uma criatura fictícia que aparece nos livros e na cultura popular como um morto que foi reanimado pela religião Vodu ou um ser humano irracional.

O conceito, nascido na década de 60, ganhou grande popularidade ao longo dos anos, servindo de tema para incontáveis filmes, seriados, livros, histórias em quadrinhos, videogames e outras obras de variadas mídias.

Há mesmo os que acreditam na concretização de tal cenário, e preparam-se para sua suposta chegada constituindo-se no Apocalipse Zumbi, cultuado e aguardado trata-se de uma infestação de zumbis numa esfera catastrófica tornando-os dominantes sobre a Terra. Hostis à vida humana, rapidamente atacariam a civilização em proporções esmagadoras, causando a "Praga Zumbi" por que a pessoa que foi atacada, através da contaminação, também transformar-se-ia num morto-vivo.

O filósofo David Chalmers na metade da década de 1990 cunhou um conceito utilizado em Filosofia da Mente, campo de pesquisa que examina a associação entre pensamento consciente e o mundo físico, o "zumbi filosófico", trata-se da pessoa que não possui consciência plena, mas que possui biologia e comportamento de um ser humano normal.

Já em 1937, a pesquisadora Zora Neale Hurston, no Haiti, verificou um caso de psicose que possuía todas as características de uma possessão zumbi.

Na década de 80, também em pesquisa no Haiti, o etnobotânico Wade Davis, verificou que se utilizando de algumas drogas era possível provocar um estado dissociativo, uma psicose induzida pela droga, muito semelhante ao zumbi. Essas pessoas passavam a serem vistas vagando por cemitérios num estado de zanga e depressão.

Em seu livro "O Eu Dividido" - (The Divided Self, 1960), o psiquiatra britânico Ronald David Laing, equipara a doença da esquizofrenia, em seus primeiros estágios, com o processo de "zumbificação".

(Continua no site)

Postagens mais visitadas deste blog

As Bolachas de Barro existem mesmo no Haiti ?

Logo que comecei a pesquisar e ler sobre o Haiti, depois de janeiro 2008, sempre ouvi falar (e ler) sobre as tais Bolachas de Barro que os haitianos comiam por causa da miséria e não terem nada mais para comer. Quando aqui pisei pela primeira vez, em julho de 2009, junto com Verônica, essa era uma das "coisas" que a gente planejou ver, mas, mesmo indo a umas oito comunidades diferentes, da Capital e no Interior, passado um dia inteiro com amigos militares dentro das Instalações do BRABAT, e ainda pernoitado na casa de amigos haitianos antes de retornarmos ao Brasil via República Dominicana, não nos deparamos com ninguém que as comesse ou mesmo vendesse.

Nas duas experiências seguintes (outubro 2010 e janeiro 2012) também não encontramos nenhum vestígio dos tais "biscoitos de barro haitianos". Mas, enfim, em 2014, durante um programa sócio-missionário desenvolvido em parceria com a 2ª Companhia de Força de Paz do BRABAT, em Cité Soleil que durou 5 dias, ao visitarmo…

Moringa e Chocolate "Made in Haiti" chegam ao Mercado Norte-americano

Porto Príncipe, 25 de fevereiro de 2016.
Por Haiti Libre

Dois novos produtos haitianos estreiaram no mercado Norte-americano no começo de fevereiro através da Rede "Whole Foods Market", em escala nacional: a "Moringa Green Energy", das Indústrias Kuli Kuli, e as barras de chocolate "Taza Chocolate". Os ingredientes destes dois produtos são comprados diretamente de pequenos produtores agrícolas do Haiti. Este acesso direto ao Mercado, combina ajuda aos agricultores melhorando e desenvolvendo suas capacidades, o que significa um aumento da renda, e beneficiamento dos consumidores nos Estados Unidos de produtos de alta qualidade.
No caso da Moringa, a pioneira é a Organização sem fins lucrativos "Smallholder Farmers Alliance (SFA)", com o apoio da Fundação Clinton. E para os grãos de cacau utilizados na fabricação das barros de chocolate, é a Companhia "Produits des Iles S.A (PISA)".
"Nós ajudamos a conectar os agricultores haitianos di…

Brasil deixará Haiti em 2016: 'Serei o último a partir', diz general

Luis Kawaguti Da BBC Brasil em São Paulo
23 outubro 2015



"Em outubro de 2016, as últimas tropas da ONU vão partir do Haiti. Vou ficar para o último avião e encerrar a missão militar", afirma à BBC Brasil o general brasileiro Ajax Porto Pinheiro, que assumiu há cerca de dez dias o cargo de comandante-geral das forças da ONU no país caribenho e coordenará no próximo domingo a segurança das eleições presidenciais haitianas.

O Conselho de Segurança da ONU determinou neste mês que a Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti) termine no dia 15 de outubro de 2016, ocasião em que a comunidade internacional espera que um novo presidente haitiano já esteja exercendo seu mandato.

O Brasil comanda o setor militar da missão desde seu início em 2004. Até agora, o governo brasileiro previa que seus 850 militares começassem a voltar para casa em algum momento no ano que vem. Mas uma data oficial não havia sido estabelecida.

Até outubro de 2016, a missão será mantida com o …