Pular para o conteúdo principal

O avanço missionário dos batistas brasileiros no mundo


Em 2011, após 9 anos sem conseguir atingir sua meta financeira, Missões Mundiais ultrapassou um alvo desafiador. Isso aconteceu devido a muito trabalho das igrejas e crentes brasileiros que amam a obra missionária e se envolveram em oração e na entrega de suas ofertas e vidas.
Como consequência deste esforço, no ano passado foram enviados 121 novos missionários para os campos e treinados mais 43 obreiros. Missões Mundiais enviou 204 voluntários que atuaram em projetos de curta duração e impactaram o Haiti, a Itália, a Índia e outros países. Também houve crescimento no número de campos com a abertura da República Centro-Africana. Neste ano já foram abertos mais dois campos africanos, Camarões e Chade. A meta de Missões Mundiais é enviar 800 missionários para 80 campos até o ano de 2013. Atualmente são 719 missionários que atuam em 65 campos, e já está sendo preparada a abertura de mais 15 campos. Com isso, os projetos cresceram e frutificaram. Os números são provas incontestes do avanço missionário.
Em 2011 foram 39 igrejas plantadas, 2.338 crentes batizados, 1.352 frentes missionárias abertas, entre núcleos de estudo bíblico, células e congregações. O PEPE, programa socioeducativo promovido pela JMM, alcançou 7.167 crianças com 246 unidades. No Mali/África foi construída uma maternidade, entre tantas outras realizações. Este ano o PEPE chegou a mais um país: Haiti. Em janeiro foram inauguradas as duas primeiras unidades desta nação que é considerada a mais pobre das Américas.
A abertura de novos campos e o envio de mais missionários são metas que estão sempre diante da JMM. Assim como o grande desafio da administração dos recursos que Deus tem confiado à nossa agência missionária. “Mas, pela fé, cremos que o povo de Deus não recuará, mas avançará em direção aos povos não alcançados. Para 2012 temos um alvo ainda mais desafiador e, pela experiência passada, sabemos
que vamos ultrapassá-lo também”, diz o Pr. João Marcos Barreto Soares, diretor executivo da JMM.
Na Campanha Missionária de 2012, a JMM leva às igrejas a realidade dos povos não alcançados, mas
principalmente falando de três países: China, Paquistão e Indonésia. A Campanha deste ano, mais uma vez, deseja conscientizar as igrejas sobre a necessidade de priorizarmos os cerca de 3.000 povos não alcançados e de conhecermos a realidade muçulmana para evangelizá-los. Em 2013 Missões Mundiais começa a treinar mais duas categorias do Projeto Radical – Voluntários sem Fronteiras: Sênior e Ásia. Atualmente a JMM mantém 18 missionários na China, mas sua meta é enviar, até 2015, mais 100 pessoas para aquele país. Para isso, é preciso que mais pessoas se apresentem para seguir aos campos.
Para que o avanço missionário dos batistas brasileiros continue avançando, contamos com nossos pastores, líderes, promotores de missões e crentes que queiram ver o mundo alcançado pela Palavra de Deus. Pois Cristo é a Paz que liberta povos e nações.

Postagens mais visitadas deste blog

Sopa Receita Joumou - Sopa da Liberdade!

Pra quem gosta de cultura e culinária, ta aí a Sopa da Liberdade!
Era um prato dos Colonizadores, e os escravos não tinham acesso, até à sua Independência. A partir daí, anualmente, no dia 1º de Janeiro (Dia da Independência) eles a celebram degustando essa prato tipicamente Haitiano. Uma boa dica para as Feiras Missionárias no Brasil!
Sopa Receita Joumou
Sexta-feira, 4 de marco de 2011 16:24



O prato monumental da Revolução haitiana, Sopa Joumou, sopa de abóbora, E o Prato De conquistadores. E tradicionalmente servido no Dia da Independência do Haiti, 01 de janeiro, Como hum começo Saudável par o Outro ANO.

Ingredientes
- 1 kg de carne faça Pescoço OU rabo de boi
- 1/2 limão
- Sal fino
- Esmagado pimenta preta
- Água (Suficiente parágrafo cobrir uma carne; Mais Água podem Ser adicionados Mais Tarde parágrafo ajustar uma consistência)
- 2 kg abóbora, descascados e cubbed (alternadamente, utilizar abóbora enlatada)
- 1 cebola Pequena Cortada los cubos
- 2 Talos cebolinha verde picada
- 4 Dentes de…

Pós Furacão Matthew... oportunidade de fazer a diferença!

Nossa família e Equipe missionária estão bem, graças a Deus!
Já estivemos lá na região analisando os danos, prestando uma ajuda inicial a algumas famílias, e elaboramos uma proposta de Plano de Ação Emergencial para nossa agência. Estamos aguardando a decisão do Gabinete de Crise da Junta para agir em favor das vítimas. Ore por isso, ok?
Nesse momento o que é mais urgente é alimento e a restauração dos telhados e casas afetadas pelos ventos. Como a logística de armazenamento, transporte e envio do Brasil para o Haiti é bastante cara, demorada e vulnerável a questões aduaneiras, nossa sugestão é para que enviem recursos financeiros, e o que for arrecadado aí, como roupas, sapatos e outros itens, vocês realizem Bazares e Eventos (almoços ou jantares) para reverter os itens arrecadados em recurso financeiro que será bem mais facilmente transferido e revertido aqui na economia local, em alimentos e materiais de construção.
Para ajudar:
1) Através do "Ajude Agora Haiti" coordenad…

Moringa e Chocolate "Made in Haiti" chegam ao Mercado Norte-americano

Porto Príncipe, 25 de fevereiro de 2016.
Por Haiti Libre

Dois novos produtos haitianos estreiaram no mercado Norte-americano no começo de fevereiro através da Rede "Whole Foods Market", em escala nacional: a "Moringa Green Energy", das Indústrias Kuli Kuli, e as barras de chocolate "Taza Chocolate". Os ingredientes destes dois produtos são comprados diretamente de pequenos produtores agrícolas do Haiti. Este acesso direto ao Mercado, combina ajuda aos agricultores melhorando e desenvolvendo suas capacidades, o que significa um aumento da renda, e beneficiamento dos consumidores nos Estados Unidos de produtos de alta qualidade.
No caso da Moringa, a pioneira é a Organização sem fins lucrativos "Smallholder Farmers Alliance (SFA)", com o apoio da Fundação Clinton. E para os grãos de cacau utilizados na fabricação das barros de chocolate, é a Companhia "Produits des Iles S.A (PISA)".
"Nós ajudamos a conectar os agricultores haitianos di…