Pular para o conteúdo principal

Haiti: parceria privada é a melhor opção de investimento



Bárbara Ladeia (bladeia@brasileconomico.com.br)
23/09/11 10:15

Trabalho para-diplomático é fundamental para uma internacionalização racional dos investimentos privados.

A pesquisa e identificação das necessidades locais tem se mostrado ferramenta fundamental para o investimento em novos mercados. Mais do que identificar um mercado potencial, se faz necessário saber o que tem potencial ou não para ser absorvido em território estrangeiro.

No caso do Haiti, não é diferente. Foi através da pesquisa que o Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (Ceiri) identificou a necessidade de trazer representantes do país como forma de fomentar o investimento no país.

"Pensamos em qual seria a melhor forma de trabalhar com o beneficiamento dos estados frágeis e entendemos que a necessidade do país era muito específica", comenta Daniela Alves, pesquisadora do Ceiri. "Sem a visão estratégica de quem atua no país, a parceria internacional sempre terá um tônus mais assistencialista."

Nesse sentido, a necessidade de buscar investimentos do setor privado veio a partir da identificação do problema essencial: o emprego. "Sem o setor privado no Haiti, não há emprego."

Daniela explica que os projetos de internacionalização das empresas, seja no investimento em plantas produtivas ou no aporte de capitais, são feitos de forma mais assertiva quando há troca de informações com lideranças locais. "Tem de ser avaliado o que é possível e o que é necessário fazer dentro do país."

Empresa

Uma das empresas que já atua no país é a Eurobras, fabricante e projetista de construções metálicas e moduladas, descobre oportunidade de negócios a partir da reconstrução do país do Caribe.

A oportunidade nasceu com a missão de paz do governo brasileiro precisava de soluções metálicas móveis, sombrios e barracas para alojamento, que pudesse sem fabricadas em curto período. Esse contrato inicial rendeu novas parceiras com outras instituições, como o exército chileno e outras empresas locais.

"Tem companhias importantes que estão empregando e refazendo a economia no local", comenta Daniel Cruz Razeto, diretor de Negócios Internacionais da Eurobrás. "Nós estamos presentes na reconstrução do país."

Atualmente a empresa fornece equipamentos para diversas construtoras nacionais como Odebrecht, OAS, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez.

Postagens mais visitadas deste blog

Sopa Receita Joumou - Sopa da Liberdade!

Pra quem gosta de cultura e culinária, ta aí a Sopa da Liberdade!
Era um prato dos Colonizadores, e os escravos não tinham acesso, até à sua Independência. A partir daí, anualmente, no dia 1º de Janeiro (Dia da Independência) eles a celebram degustando essa prato tipicamente Haitiano. Uma boa dica para as Feiras Missionárias no Brasil!
Sopa Receita Joumou
Sexta-feira, 4 de marco de 2011 16:24



O prato monumental da Revolução haitiana, Sopa Joumou, sopa de abóbora, E o Prato De conquistadores. E tradicionalmente servido no Dia da Independência do Haiti, 01 de janeiro, Como hum começo Saudável par o Outro ANO.

Ingredientes
- 1 kg de carne faça Pescoço OU rabo de boi
- 1/2 limão
- Sal fino
- Esmagado pimenta preta
- Água (Suficiente parágrafo cobrir uma carne; Mais Água podem Ser adicionados Mais Tarde parágrafo ajustar uma consistência)
- 2 kg abóbora, descascados e cubbed (alternadamente, utilizar abóbora enlatada)
- 1 cebola Pequena Cortada los cubos
- 2 Talos cebolinha verde picada
- 4 Dentes de…

Pós Furacão Matthew... oportunidade de fazer a diferença!

Nossa família e Equipe missionária estão bem, graças a Deus!
Já estivemos lá na região analisando os danos, prestando uma ajuda inicial a algumas famílias, e elaboramos uma proposta de Plano de Ação Emergencial para nossa agência. Estamos aguardando a decisão do Gabinete de Crise da Junta para agir em favor das vítimas. Ore por isso, ok?
Nesse momento o que é mais urgente é alimento e a restauração dos telhados e casas afetadas pelos ventos. Como a logística de armazenamento, transporte e envio do Brasil para o Haiti é bastante cara, demorada e vulnerável a questões aduaneiras, nossa sugestão é para que enviem recursos financeiros, e o que for arrecadado aí, como roupas, sapatos e outros itens, vocês realizem Bazares e Eventos (almoços ou jantares) para reverter os itens arrecadados em recurso financeiro que será bem mais facilmente transferido e revertido aqui na economia local, em alimentos e materiais de construção.
Para ajudar:
1) Através do "Ajude Agora Haiti" coordenad…

Moringa e Chocolate "Made in Haiti" chegam ao Mercado Norte-americano

Porto Príncipe, 25 de fevereiro de 2016.
Por Haiti Libre

Dois novos produtos haitianos estreiaram no mercado Norte-americano no começo de fevereiro através da Rede "Whole Foods Market", em escala nacional: a "Moringa Green Energy", das Indústrias Kuli Kuli, e as barras de chocolate "Taza Chocolate". Os ingredientes destes dois produtos são comprados diretamente de pequenos produtores agrícolas do Haiti. Este acesso direto ao Mercado, combina ajuda aos agricultores melhorando e desenvolvendo suas capacidades, o que significa um aumento da renda, e beneficiamento dos consumidores nos Estados Unidos de produtos de alta qualidade.
No caso da Moringa, a pioneira é a Organização sem fins lucrativos "Smallholder Farmers Alliance (SFA)", com o apoio da Fundação Clinton. E para os grãos de cacau utilizados na fabricação das barros de chocolate, é a Companhia "Produits des Iles S.A (PISA)".
"Nós ajudamos a conectar os agricultores haitianos di…