Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2011

Pastor cristão é condenado a pena de morte no Irã por se recusar a mudar de religião

Condenado por não se converter ao islamismo, ele poder ser o primeiro iraniano executado em 20 anos devido à religião.

Um pastor que se converteu do islamismo para o cristianismo foi condenado à pena de morte no Irã por recusar voltar à sua antiga religião. As informações são do jornal britânico "Daily Mail".

Youcef Nadarkhani, 34, se recusou a cumprir uma ordem judicial que o obrigava a se converter novamente ao islamismo. A sentença foi proferida por uma corte na província de Gilan, na cidade de Rasht.

O pastor foi detido em outubro de 2009 quando tentava registrar sua igreja na cidade. Youcef começou a questionar a supremacia dos muçulmanos para doutrinar as crianças, e acabou acusado de tentar "evangelizar" muçulmanos e de abandonar o islamismo, o que pode levar à pena de morte no país.

Sua primeira condenação aconteceu em 2010, mas a Suprema Corte do Irã interveio e conseguiu adiar a sentença. Ao ser revisto, o processo resultou na mesma condenação ao fim do s…

JMM em horário nobre na TV

JMM - Missões Mundiais
Por Marcia Pinheiro 29 de setembro de 2011

Pela primeira vez em sua história, Missões Mundiais veiculará um comercial em uma emissora de TV. A paixão por missões levou o empresário Rogério Xavier a doar 20 inserções de 30 segundos, cada, para a JMM. O comercial é sobre o trabalho desenvolvido pela Junta no Haiti e irá ao ar entre os dias 1º e 12 de outubro na Band Rio. O telespectador poderá assisti-lo no intervalo de nove programas, entre eles o Brasil Urgente, apresentado por José Luiz Datena, e o CQC.

Rogério Xavier é dono da empresa 3:16xavierpublicidade e atua como contato publicitário e distribuidor. A parceria com a JMM começou em 1998, com anúncios nas principais emissoras gospel do Brasil, como a Rádio Melodia e a 93 FM, e em revistas. Sua dedicação ao Reino de Deus rendeu-lhe o reconhecimento de Missões Mundiais, que concedeu-lhe o primeiro Selo de Responsabilidade Missionária.

Mas o interesse por missões deste empresário é bem mais antigo. Batista há 19…

Brasil vai começar a retirar tropas do Haiti em março, diz Amorim

BBC | 29/09/2011 19:16

Ministro da Defesa diz que 257 dos 2,2 mil militares brasileiros que fazem parte da missão da ONU deixarão o país caribenho

Foto: ReutersAmpliar

O ministro da Defesa Celso Amorim afirmou que a situação de segurança melhorou muito no Haiti (6/9)

O Brasil deve começar a retirada parcial de suas tropas no Haiti em março de 2012, afirmou nesta quinta-feira o ministro da Defesa, Celso Amorim. Segundo Amorim, 257 dos 2,2 mil militares brasileiros que estão na Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti) deixarão a ilha caribenha nessa data, de acordo com a Agência Brasil.

Em depoimento à Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado, o ministro disse que "tudo depende do plano (de retirada) da ONU", mas que o Brasil é o país que menos reduzirá seu efetivo no Haiti. Além dos brasileiros, outros 1,6 mil oficiais de outras nacionalidades devem deixar a missão da ONU no início do ano que vem.

Saída gradual

Para o ministro, a reti…

PEPE: esperança para as crianças haitianas

Portal Batista

Escrito por fabio
Ter, 27 de Setembro de 2011 14:48

Considerado o país mais pobre das Américas, o Haiti tem cerca de 70% de sua população formada por analfabetos e apenas 40% de suas crianças vão à escola primária. A carência educacional desta nação levou Missões Mundiais a trabalhar na implantação de unidades do PEPE, programa socioeducativo, nas igrejas batistas locais. O programa é coordenado internacionalmente pela missionária Terezinha Candieiro.  O PEPE Haiti está ligado ao Projeto Por um Novo Haiti. Ele leva às crianças a esperança de um futuro melhor através da educação, com esporte, lazer e um rigoroso programa de nutrição. Tudo isso num ambiente acolhedor, onde o amor de Deus é compartilhado e os princípios cristãos transmitidos às crianças e suas famílias. Cada unidade será ligada a uma das igrejas, cujo obreiro da terra é sustentado pelos batistas brasileiros. O programa vai possibilitar que seus alunos ingressem no ensino fundamental com boa autoestima e com…

Haiti: País poderá começar a formar novo exército em Outubro

Diário Digital:
quinta-feira, 29 de Setembro de 2011 | 04:45

O Haiti poderá começar a formar um novo exército com 3.500 elementos em outubro ou novembro deste ano, que no futuro substituirá a missão das Nações Unidas no país, segundo o documento «Política de Defesa e Segurança Nacional».

O porta-voz da presidência do Haiti, Simon Jura, disse desconhecer a existência do documento, mas reconheceu que uma equipa de assessores do chefe de Estado, Michel Martelly tem vindo a refletir sobre o restabelecimento de «uma força de defesa nacional».

De acordo com o documento de 23 páginas, a que a EFE teve acesso, o novo exército estará sob o controlo do chefe de Estado, que presidirá a uma estrutura de defesa denominada «Conselho Nacional de Defensa e Segurança (CNDS).

Haiti inicia retirada de acampamentos para desabrigados

27 de setembro de 2011 • 21h52 • atualizado às 22h11

O secretário-geral adjunto da ONU e diretor do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) para a América Latina e o Caribe, Gerardo Muñoz, disse nesta terça-feira que seria um grande triunfo retirar os acampamentos improvisados que permanecem em Porto Príncipe, no Haiti, desde o terremoto do ano passado.

Após uma visita de dois dias ao país, Muñoz afirmou à Agência Efe que realizar essa tarefa é uma missão muito importante para o governo haitiano, que prometeu oferecer condições satisfatórias de moradia para 30 mil desabrigados.

O projeto do governo, chamado "16-6", pretende reconstruir 16 bairros da capital e remover seis acampamentos. Os trabalhos serão financiados com US$ 30 milhões da Comissão Interina para a Reconstrução do Haiti e deverá ser concluído em 30 meses.

Muñoz esteve no Haiti para conversar com presidente do país, Michel Martelly, sobre ações da ONU. O Pnud está trabalhando no processo de remo…

Haiti está recebendo água limpa e “Água Viva” através de ministério evangelístico

Setembro 23, 2011 Por inforgospel.com



Haiti: um povo sofrido que constantemente necessita de ajuda, mas pós terremoto que abalou o país, os haitianos ficaram ainda mais necessitados. Diante disto um Ministério tem levado apoio, agua e conforto através da Palavra de Deus. Confira e ore por este povo e nação…

Quase dois anos após um terremoto no Haiti, o país continua frágil. Doadores internacionais não continuaram a cumprir suas promessas de ajuda, o que ameaça minar a estabilidade e os esforços da lenta recuperação.

Há muitos pontos positivos, no entanto. No norte do país, os engenheiros civis César Cortez e Alfredo León estão trabalhando para restaurar a esperança em uma comunidade do país. “Existem cerca de 100 poços nessa área”, explicou Cortez. “A primeira opção é para reconstruir um dos projetos de água que a Cruz Vermelha havia construído 50 anos atrás. De acordo com a informação que recebi do povo, agora está completamente destruída.”

Cortez, um parceiro de longa data da HCJB G…

Líder cristão é procurado por autoridades do governo

25 Set - 09h00
Portas Abertas

Ore pelo julgamento de Yousef Nadarkhani


Pastor Yousef Nadarkhani

IRÃ (2º) - Para muitos, 25 de setembro de 2011 será mais um dia comum, sem maiores problemas. Mas para o pastor Yousef Nadarkhani, 25 de setembro de 2011 será o dia em que ele será julgado pelo regime iraniano, que decidirá seu futuro: vida ou morte.

No dia 25 de setembro, Yousef enfrentará sua última chance de defender seu destino e sua posição, antes que o tribunal do Irã ordene sua execução por ele ter deixado o Islã e crido em Jesus Cristo.

Pastor Yousef foi condenado à morte por sua conversão ao cristianismo. O Supremo Tribunal Revolucionário em Qom enviou o processo ao tribunal, para que possam inserir resultados adicionais sobre o incidente.

Ensino técnico deve combater apagão de emprego no Haiti

Brasil Econômico

Bárbara Ladeia (bladeia@brasileconomico.com.br)
23/09/11 15:30


A falta de capital para investimentos é apenas o primeiro desafio para o Haiti. Com 80% da população abaixo da linha da pobreza, a taxa de desemprego do país chega a 40,6%.

Cerca de 60,1% da população se encontra na faixa entre 15 e 64 anos. Outros 35,9% são compostos por crianças até os 14 anos.

Jean Garry, haitiano pesquisador do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais, entende que, ao mesmo tempo em que a população jovem demais é um problema atual, configura-se como um grande potencial de força de trabalho.

"Nossa população é a maior fonte de riquezas", explica.

A principal preocupação é a falta de formação técnica dessa massa que busca um posicionamento no pequeno mercado de trabalho do país.

"Temos uma população muito jovem. Faz-se necessário a criação de escolas técnicas para explorar todo esse potencial", sinaliza Olivier Barrau, presidente da Alternativa Ins…

Haiti busca capital para desenvolvimento da economia

Brasil Econômico

Bárbara Ladeia (bladeia@brasileconomico.com.br)
23/09/11 08:49


Após o terremoto, país procura investidores para geração de empregos de longo prazo e, finalmente, caminhar sem ajuda humanitária.

Foi a poucos quilômetros da capital Porto Príncipe que o caos começou. Um terremoto de magnitude 7 na escala Richter destruiu boa parte do país em janeiro de 2010.

A tragédia marcou a história do Caribe, com 200 mil mortos, 30 mil feridos e mais de quatro mil amputados.

O apoio com envio de equipes e doações de suprimentos veio de toda a parte do mundo. Três dias após o acidente, a ajuda global já somava US$ 350 milhões, cerca de 36% do orçamento haitiano para 2008.

Brasil, Estados Unidos, União Europeia, Organização das Nações Unidas e Fundo Monetário Internacional juntaram esforços na recuperação do país.

Se por um lado a ajuda humanitária foi fundamental na sobrevivência do país, por outro ela acabou por desequilibrar a balança comercial local, prejudicando as empresas locais…

Haiti: parceria privada é a melhor opção de investimento

Bárbara Ladeia (bladeia@brasileconomico.com.br)
23/09/11 10:15
Trabalho para-diplomático é fundamental para uma internacionalização racional dos investimentos privados.

A pesquisa e identificação das necessidades locais tem se mostrado ferramenta fundamental para o investimento em novos mercados. Mais do que identificar um mercado potencial, se faz necessário saber o que tem potencial ou não para ser absorvido em território estrangeiro.

No caso do Haiti, não é diferente. Foi através da pesquisa que o Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (Ceiri) identificou a necessidade de trazer representantes do país como forma de fomentar o investimento no país.

"Pensamos em qual seria a melhor forma de trabalhar com o beneficiamento dos estados frágeis e entendemos que a necessidade do país era muito específica", comenta Daniela Alves, pesquisadora do Ceiri. "Sem a visão estratégica de quem atua no país, a parceria internacional sempre terá um tônus mais assisten…

Sacerdotes haitianos rezam conjuros contra maldição de Dessalines

Noticias de Prensa Latina

Porto Príncipe, 20 set (Prensa Latina) Como cada 20 de setembro, sacerdotes vudús fizeram hoje cerimônias por todo Haiti para pedir aos deuses o fim da maldição do imperador Dessalines, à que atribuem as calamidades do país.

Duas vezes ao ano realizam-se estas cerimônias religiosas, no dia do nascimento e o da morte do primeiro rei negro de Haiti, Jean-Jacques Dessalines, lutador pela independência devindo ditador.

Para os crentes, uma anátema proferida pelo escravo-militar, quando foi assassinado em 17 de outubro de 1806 por tropas de Henry Christhophe é, em parte, a causa das mil e uma penúrias que tem sofrido a nação caribenha. "Este país pagará por isto", contam os historiadores que gritou entre sangue o auto-nomeado imperador Jacques I. Desde então começou a lenda.

Assim, dezenas de pessoas atribuem a esse conjuro as sucessivas ditaduras, o terremoto de janeiro de 2010, ou a epidemia de cólera que, coincidentemente, apareceu em outubro, no mês …

Estou presente no Haiti

Revista Mãos Dadas

Ajude as crianças do Haiti
Participe da campanha da Viva, Associação Crianças de Belém e Rede Mãos Dadas

“Estou presente no Haiti” é uma campanha de arrecadação de fundos, organizada pela Viva (parceira da Rede Mãos Dadas), cujo objetivo principal é contribuir com a reconstrução de uma sociedade mais justa e amiga das crianças vítimas do terremoto, ocorrido em 12 de janeiro. Calcula-se que cerca de 2 milhões de crianças foram afetadas de alguma forma pela tragédia. Esta iniciativa reúne uma série de planos e programas práticos e com eficácia comprovada, para cuidar e promover o bem-estar integral das crianças que por causa do terremoto perderam seus lares, seus familiares, ou pior ainda, ficaram órfãos.

Doações no Brasil
Com a sua doação de US$ 10.00 ou R$ 18,00 será possível a implementação de projetos sociais cujo objetivo final é contribuir para a reconstrução de uma sociedade haitiana onde os direitos da infância são respeitados. Visto que em pleno século XXI, c…

Exército brasileiro não tira ‘UPP’ do Haiti antes de 2016

O DIA ONLINE - BRASIL

Militares só sairão quando polícia local souber cuidar da segurança pública sozinha

Rio - Quando o Itamaraty fala em diminuição “gradual” das tropas no Haiti, um dos fatores levados em conta é a capacidade de a Polícia Nacional do Haiti (PNH) cuidar da segurança pública do país sozinha. Por isso, embora o Brasil já planeje reduzir em até 800 homens a presença militar na ilha em março do ano que vem, a retirada da Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (Minustah) — comparada às Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) do Rio — não deverá acontecer antes de 2016.

Segundo um alto oficial do Exército brasileiro que integrou a Minustah, um estudo realizado no início da missão, em 2004, apontava que o país caribenho precisaria de 14 mil a 18 mil policiais para garantir a segurança em todo o território. Na época, eram 5 mil policiais. Hoje, há 10 mil. A Academia de Polícia tem capacidade de formar 700 homens por ano. Isso significa que, para atingir o númer…

Começa o processo de retirada do Haiti

Expresso.pt

Os países da América do Sul concordaram em reduzir a sua presença no Haiti. A decisão coincide com um escândalo em que militares uruguaios terão abusado de um adolescente haitiano.

Reunidos no Uruguai, os ministros da Defesa e os chanceleres da América do Sul alcançaram dois grandes consensos sobre a Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH), que atua desde 2004. Por um lado, a força de paz deve ser reduzida gradualmente a partir de 15 de outubro, quando o mandato deve ser renovado. E, por outro, essa redução deve ser coordenada com a ONU e com o governo haitiano para não gerar o caos.

"Devemos ter uma atitude responsável em relação ao Haiti e a nós mesmos até porque também sacrificamos vidas nessa operação", explicou ao Expresso Celso Amorim, ministro da Defesa do Brasil, país que lidera a missão.

Tanto o chanceler uruguaio, Luis Almagro, quanto o chefe da missão da ONU no Haiti, o chileno Mariano Fernández, afirmaram que o contingente no paí…

Wyclef Jean é nomeado embaixador itinerante do Haiti

O cantor Wyclef Jean, cuja candidatura à Presidência do Haiti foi excluída em 2010 pelas autoridades eleitorais por não cumprir os requisitos básicos, foi nomeado embaixador itinerante do país pelo presidente Michel Martelly, informou nesta sexta-feira o jornal oficial Le Moniteur.

O músico, que apoiou a candidatura de Martelly - cantor do ritmo popular local "compa" -, já havia ocupado este mesmo cargo durante o mandato de René Préval.

Wyclef Jean também faz parte do Conselho Consultivo Presidencial para o Desenvolvimento Econômico e Investimentos do Haiti, lançado oficialmente na quinta-feira e que será liderado pelo ex-presidente americano Bill Clinton.

Em julho, o líder haitiano atribuiu a Jean a "Ordem Nacional Honra e Mérito" no grau de "Grande Oficial" por sua dedicação ao bem-estar da empobrecida nação caribenha.

Segundo o Le Moniteur, a nomeação do rapper aconteceu no dia 2 de setembro. De acordo com o jornal, Martelly também designou Yves Germa…

Um Novo Tempo para o Ex-Padre Luca de Pero

Jovens camponeses retornam ao Haiti depois de um ano de intercâmbio promovido pela Via Campesina

Jornal Correio do Brasil

9/9/2011 15:42, Por Adital

Como resultado das ações da Via Campesina, no Brasil, em apoio e solidariedade ao Haiti, um grupo de 76 jovens camponeses haitianos deve retornar ao seu país de origem na próxima quarta-feira (14) deste mês, com mais conhecimento e prática na área rural. Isso foi possível por conta de um intercâmbio iniciado há um ano, onde os (as) participantes puderam ter acesso a técnicas de agroecologia, informações sobre estrutura de cooperativas, funcionamento de acampamentos e assentamentos, entre outros.

Os estudantes deste intercâmbio são militantes de movimentos sociais do Haiti, oriundos dos dez departamentos que compõem o país. Ao todo são 54 homens e 22 mulheres que foram selecionados para esta iniciativa.

No primeiro mês, os (as) jovens tiveram aulas na Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), localizada no município de Guararema, interior do estado de São Paulo.

Integrante da eq…

Clinton fará parte de conselho de desenvolvimento do Haiti

BRASÍLIA – O presidente do Haiti, Michel Martelly, nomeou o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton para comandar o Conselho Diretor de Desenvolvimento Econômico Consultivo e de Investimento do país. A ideia é estimular o ingresso de investimentos no país. O Haiti, país mais pobre das Américas, ainda sofre as consequências do terremoto de 12 de janeiro de 2010, que destruiu grande parte das principais cidades.

No começo desta semana, Martelly indicou Garry Conill para ser o primeiro-ministro do Haiti. Conill foi assessor de Clinton quando ele era o encarregado da Organização das Nações Unidas para o Haiti. Conill foi o terceiro nome indicado para ocupar o posto. Os antecessores tiveram as indicações rejeitadas pelo Parlamento haitiano.

Algumas organizações não governamentais observam a presença de Clinton no Haiti com cautela. Para as entidades, o ex-presidente norte-americano, vez por outra, faz sugestões que são interpretadas como ingerência nos temas internos do país.

Os desafi…

2ª Reunião de Ministros das Relações Exteriores e da Defesa dos Países Sul-americanos participantes da MINUSTAH

Portal Fator Brasil

Montevidéu-O ministro das relações exteriores, Antonio de Aguiar Patriota, e o ministro da defesa, Celso Amorim, participarão da II Reunião de ministros das relações exteriores e da defesa dos países sul-americanos participantes da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah), a realizar-se em Montevidéu, no dia 08 de setembro (quinta-feira). A reunião constituirá oportunidade para o intercâmbio de opiniões sobre o desempenho da Minustah e a reafirmação do compromisso dos países sul-americanos com seu êxito, em antecipação aos debates que se realizarão no Conselho de Segurança das Nações Unidas, em outubro próximo, sobre a renovação de seu mandato.

Países sul-americanos (Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai, além do Brasil) contribuem atualmente com cerca de 5.300 efetivos militares e policiais à Minustah, o que corresponde a aproximadamente 44% do total de efetivos da Missão.
(www.itamaraty.gov.br)

SOS Global realiza Módulo I do Treinamento sobre Tragédias

Ministro da Defesa defende retirada gradual de tropas do Haiti

Declaração foi dada durante entrevista em Buenos Aires
Foto: EFE

O Brasil precisa começar a pensar na saída gradual de suas tropas do Haiti, disse nesta segunda-feira o ministro da Defesa, Celso Amorim, na embaixada do Brasil em Buenos Aires. Em entrevista, Amorim disse que deveria ocorrer, primeiramente, uma redução gradual das tropas, a partir da definição de um cronograma conjunto dos países da Unasul (União das Nações Sul-Americanas) com a ONU, antes da retirada total.

"Não podemos ter uma saída desorganizada que gere uma situação de caos", disse o ministro. "Nós devemos uma atitude responsável em relação ao Haiti e em relação a nós mesmos. Agora, a médio e longo prazo, não é bom nem para o Haiti e nem para quem está lá que essa presença se perpetue", disse. Amorim afirmou que este será o principal assunto da reunião da Unasul na próxima quinta-feira, em Montevidéu.

Segundo o ministro da Defesa, é preciso evitar uma situação de "falso conforto" em re…

Tabela Campeonato Haitiano - 2011

Técnico brasileiro do Haiti enfrenta deserções, fome e utopia sobre vaga na Copa

Levado ao comando da seleção do Haiti em 2010 através de um projeto da ONG Viva Rio, o técnico brasileiro Edson Tavares enfrenta na América Central o trabalho mais difícil de uma carreira descrita por um currículo recheado de passagens por lugares exóticos do futebol, como Omã, Kuait e Vietnã.

No entanto, mais do que o desafio técnico de buscar evolução da equipe número 117 no ranking da Fifa, Tavares se vira para comandar um projeto em uma nação miserável devastada por um recente terremoto, que vê alguns de seus principais atletas desertarem a cada oportunidade que aparece no exterior.

As condições de trabalho oferecidas ao brasileiro são sofríveis e improvisadas no país de pior índice de desenvolvimento humano das Américas, segundo a ONU (25º pior do mundo).

"A infraestrutura é o maior problema. Normalmente, antes do terremoto, as equipes treinavam em Miami, num CT da seleção americana em Orlando. Depois do terremoto, se perdeu tudo, também a possibilidade de ir aos EUA. Tudo …

Ex-assessor de Clinton é nomeado premiê do Haiti

Paraná-Online

Ex-assessor de Clinton é nomeado premiê do Haiti O presidente do Haiti, Michel Martelly, nomeou nesta quinta-feira Garry Conille como primeiro-ministro do país caribenho, informou o presidente da Câmara dos Deputados, Saurel Jacinthe. Conille foi assessor especial do ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton. Conille é considerado um experiente colaborador em casos de desastre e trabalhava para as Nações Unidas desde 1999. Após o terremoto no Haiti no começo do ano passado, Conille foi chefe do escritório de Clinton, que então trabalhou como enviado especial das Nações Unidas para o Haiti. O governo do Haiti estava sem primeiro-ministro desde que Martelly assumiu o cargo de presidente em maio e os esforços para reconstruir o país estavam suspensos. Os parlamentares haitianos rechaçaram as duas primeiras escolhas de Martelly para o cargo de premiê. Conille possui mestrado na Universidade da Carolina do Norte e doutorado pela Universidade Estatal do Haiti. Ele começou sua carr…