Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2010

República Dominicana reabre mercados na fronteira com o Haiti

País, no entanto, mantém controles sanitários para evitar transmissão de cólera na região26 de outubro de 2010 | 22h 25
estadão.com.br Doentes atentidos pelo hospital  St. Nicholas, en St. Marc SANTO DOMINGO- A República Dominicana autorizou nesta terça-feira, 26, a reabertura dos mercados na fronteira com o Haiti, mas ainda mantém estritos controles sanitários contra a transmissão de cólera que já matou ao menos 295 pessoas no país vizinho. As informações são da agência de notícias AFP. Veja também:
Brasil envia suprimentos e remédios ao país
OMS diz não saber origem do surto de cólera no Haiti
Surto de cólera pode atrasar eleições presidenciais Segundo o ministro de Saúde dominicano, Bautista Rojas, foram estabelecidos controle em toda a faixa fronteiriça, que permitirão a realização dos mercados binacionais. O comércio entre os dois países, que ocorria às segundas e sextas, foi suspenso ontem como medida de precaução ante o surto de cólera no Haiti, que já registrou 3.612 casos da doença,

Surto de cólera no Haiti poderá ter origem num aquartelamento da ONU

Surto de cólera no Haiti poderá ter origem num aquartelamento da ONU

SaúdeSurto de cólera no Haiti poderá ter origem num aquartelamento da ONUA epidemia de cólera no Haiti já fez mais de 300 mortos. Há, nesta altura, mais de 4700 pessoas hospitalizadas. Mas as autoridades dizem que ainda não foi atingido o pico do surto A ONU está entretanto a investigar suspeitas levantadas sobre a origem da doença num aquartelamento de capacetes azuis nepaleses. A lixeira da unidade militar recém-chegada ao Haiti está localizada junto ao rio que banha o centro do país e onde começou o surto.

Haitianos protestam contra fechamento de fronteira dominicana

Estadão.com / Internacional
Mercado que ocorre na fronteira foi temporariamente suspenso após epidemia de cólera25 de outubro de 2010 | 20h 04 Efe Centenas de comerciantes e compradores haitianos impedidos de entrar em Dajabón DAJABÓN, REPÚBLICA DOMINICANA- Haitianos protestaram nesta segunda-feira, 25, contra a suspensão do mercado binacional entre seu país e a República Dominicana devido a epidemia de cólera que assola o Haiti. Policiais e membros da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) reprimiram as manifestações com gás lacrimogêneo. Veja também:
Cólera chega à capital do Haiti e ameaça desabrigados
Unasul enviará ajuda ao Haiti
República Dominicana barra entrada de haitianos Os manifestantes se reuniram nos arredores do rio Masacre, fronteira natural entre os dois países, e jogaram pedras contra o portão que separa a localidade haitiana de Ouanaminthe da dominicana de Dajabón para exigir a abertura do mercado que acontece nas segundas e nas sextas. O incidente …

Haiti: chefe da missão da ONU critica ONGs e elogia Brasil

O escritório de Edmond Mulet, 59, tem uma rachadura na parede, bem atrás de sua cadeira. Sobre a mesa, computador, impressora, um copo com água. De plástico. Vida difícil por lá. E desde sempre. Chefe da Minustah (missão da ONU no Haiti), Mulet ocupou o posto do tunisiano Hédi Annabi, morto no terremoto de janeiro. O diplomata guatemalteco diz que o país nunca esteve tão preparado como agora para as eleições em 28 de novembro. Não descarta, porém, violência na votação. E é direto ao falar da situação do país: não vê a luz no fim do túnel.

Mulet denuncia ainda a atuação desregulada de parte da ONGs que estão no Haiti. "É muito fácil dizer que você é uma ONG e achar que tem sinal verde para fazer o que bem entender. Essa é a República das ONGs. E nem todas têm boas intenções". Veja abaixo a entrevista:

Folha de S.Paulo:
 Qual é sua opinião sobre a ação do Brasil no Haiti?
Edmond Mulet
É um dos compromissos mais positivos e construtivos em anos. O Brasil realmente fez a diferen…

Unasul enviará ajuda humanitária ao Haiti

Serão enviados remédios, produtos de higiene e equipes técnicas para tentar deter a doençaVítimas de cólera no hospital Saint Nicolas, na cidade de Saint Marc; 259 pessoas já morreram por causa da doença(Thony Belizaire/AFP) A União de Nações Sulamericanas (Unasul) enviará ajuda humanitária e técnica ao Haiti para combater a epidemia de cólera que já deixou mais de 250 mortos, segundo o Ministério de Saúde do Equador, que tem a presidência temporária do órgão

As equipes de saúde do grupo analisam o envio de assistência através de uma videoconferência. O ministro de Saúde equatoriano, David Chiriboga, conversou com autoridades haitianas para conhecer as necessidades do país. Será enviado água, soro fisiológico, antibióticos, remédios, cloro e produtos de higiene. 

As unidades de saúde equatorianas foram advertidas sobre a doença e ativaram um alerta epidemiológico nos portos e aeroportos. Autoridades haitianas calcuralaram nesta segunda-feira que 259 pessoas morreram devido à doença que a…

Cientistas desvendam causas da destruição causada pelo terremoto no Haiti

Além da pouca qualidade das construções e do solo frágil, a geometria do solo amplificou os estragosThe New York Times Trabalhadores realizam busca nos escombros do Hotel Montana, que ficou totalmente destruído após o terremoto que atingiu a capital do Haiti, Porto Príncipe (Thomas Coex/AFP) Quando o terremoto de magnitude 7 atingiu em janeiro a capital do Haiti, Porto Príncipe, a enorme destruição e a perda de vidas foram atribuídas basicamente a dois fatores: a proximidade da cidade à falha geológica que causou o tremor, e construções de baixa qualidade que permitiram que milhares de prédios desabassem com facilidade. Sismólogos sabem que a geologia local também pode afetar a severidade de um terremoto, ao elevar as forças sísmicas sob certas condições. Imaginava-se que isso houvesse ocorrido ao terremoto do Haiti, já que grandes áreas de Porto Príncipe estão sobre camadas de rochas sedimentares relativamente frágeis – o que é propício para amplificar as ondas sísmicas. Agora, um novo e…

Haiti: Sobem para 253 mortos por cólera

Porto Príncipe (EFE) - Quarenta e três pessoas morreram nas últimas horas de cólera em Artibonite, norte do Haiti, o que aumenta para 253 o número de vítimas da doença no país, disseram ontem fontes sanitárias oficiais, que apuram cinco possíveis casos suspeitos da epidemia em Porto Príncipe.

O diretor-geral do Ministério da Saúde, Gabriel Timothée, disse à reportagem que a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) analisa cinco possíveis casos do surto na capital do país a partir de observações clínicas.

No entanto, disse que é preciso realizar exames no laboratório nacional de Saúde Pública para confirmar se os casos são de fato o cólera, que afeta parte do país desde o início da semana. Timothée disse em entrevista coletiva que o número de hospitalizados subiu para 3.115, dos quais 2.754 estão em Artibonite, a região mais afetada pelo surto.

Quatorze das vítimas morreram em Mirebalais e Las Cahobas, onde não haviam sido registradas mortes por cólera nos últimos três dias, segundo Timot…

Cientistas preveem risco de forte terremoto no Haiti

Agência Estado

O terremoto de 12 de janeiro no Haiti não foi suficiente para liberar toda a tensão de uma falha geológica existente na região, motivo pelo qual Porto Príncipe, a capital do país, está exposta a um elevado risco de uma nova catástrofe sismológica, disseram cientistas norte-americanos neste domingo. O abalo sísmico do início do ano alcançou magnitude 7,0 e provocou a morte de mais de 200.000 pessoas. Acreditou-se inicialmente que o tremor tivesse acontecido numa conhecida mas pouco compreendida falha geológica onde terremotos de magnitude similar ocorreram em 1751 e 1770. A complexa falha geológica de Jardim Enriquillo-Plantain cruza o extremo ocidental da Ilha Hispaniola, compartilhada pelo Haiti e pela República Dominicana. Uma equipe de geólogos liderada por Carole Prentice, do Instituto de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos, afirma que a interpretação de que o terremoto tenha ocorrido na falha de Jardim Enriquillo-Plantain pode estar errada. Os cientistas usaram imagen…

Surto de cólera no Haiti já matou quase 200 pessoas e número de casos deve aumentar

RIO - Autoridades haitianas já registraram 196 mortes por cólera desde o início de um surto da doença no país, há três dias, que já contaminou mais de 2.500 pessoas. A epidemia se espalha e já há casos registrados fora da região central de Artibonite, onde o surto começou. Ainda não há confirmação oficial de vítimas na capital, Porto Príncipe, mas o vice-diretor da Organização Panamericana de Saúde, Jon Andrus, disse que o número de contágios continuará aumentando porque os haitianos não tem anticorpos contra o cólera.

- Esperamos que o surto cresça, temos que esperar isso - disse Andrus, de Washington, nos EUA. Fotogaleria: o drama das vítimas do surto de cólera no Haiti Brasil enviará remédios ao Haiti na próxima semana O vice-diretor da OPS acrescentou que a República Dominicana, que divide a ilha de Hispaniola com o Haiti, deve estar em alerta diante da possibilidade de a doença cruzar a fronteira. A maior preocupação das autoridades agora é com o risco de o surto alcançar a capital h…

Associação de LGBT divulga carta a Dilma e Serra

Entidade reclama de preconceito, machismo e homofobia na campanha.
Associação destaca ações dos candidatos em defesa dos homossexuais.

Do G1, em Brasília imprimir A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), que representa 237 organizações, divulgou nesta sexta-feira (15) uma carta aberta aos presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). A carta reclama da forma como os direitos dos homossexuais vêm sendo tratados na campanha e destacam ações de Serra e Dilma em favor da causa. A carta começa pedindo respeito aos presidenciáveis. “Nos dirigimos a ambas as candidaturas à Presidência da República para pedir respeito: respeito à democracia, respeito à cidadania de todos e de todas, respeito à diversidade sexual, respeito à pluralidade cultural e religiosa”. O texto critica a utilização da discussão religiosa na campanha e reclama que “preconceito, machismo e homofobia” ganhem espaço no debate eleitoral. “Nos últimos dias, temos assistido, p…

Dados de satélite indicam verdadeira causa do terremoto no Haiti

Houve ruptura em múltiplas fissuras, e uma delas nem era conhecida.
Descoberta do perfil real do tremor aponta para risco maior de novos abalos.
Do G1, em São Paulo
Imagem de radar obtido por satélite japonês mostra deformações de terreno em Léogâne, oeste da capital haitiana Porto Príncipe (Foto: Nasa / JPL / Jaxa / METI)

O terremoto de magnitude 7 que matou cerca de 200 mil haitianos no início deste ano não foi causado por deslocamento na falha geológica de Enriquillo-Plantain Garden, como os cientistas imaginavam. A verdadeira causa foi o colapso de múltiplas falhas, sendo que uma delas, mais profunda, nem era conhecida pelos geólogos. As conclusões foram publicadas no site da revista especializada “Nature Geoscience”. A falha de Enriquillo é a “fronteira” entre a placa tectônica do Caribe e a placa Norte-Americana.

A crosta da Terra é constituída por cerca de uma dúzia de grandes placas tectônicas (ou litosféricas), delimitadas por grandes falhas e profundas fossas oceânicas. O movimen…