Pular para o conteúdo principal

Informativo 002 - Operação Mobilização "Juntos por um novo Haiti"

Há um clamor no Haiti...
"Juntos por um novo Haiti"

Brasília/DF, 19 de janeiro de 2010.

"As cenas de partir o coração que vi ontem (domingo) nos impulsionam a agir rápida e generosamente".
Ban Ki-Moon, Secretário Geral da ONU


E a Mobilização continua...

OFERTAS EMERGENCIAIS

Passados sete dias desde o terremoto mais devastador da história do Haiti recebemos os primeiros relatos sobre a real situação dos nossos obreiros, suas famílias, casas, templos e prédios. Algumas instalações sofreram poucas avarias, porém, há muito que reconstruir! Sem contar a manutenção e o investimento na saúde física, emocional e espiritual dos nossos irmãos!

Por isso, precisamos continuar MOBILIZADOS arrecadando recursos financeiros e enviando através da Junta de Missões Nacionais:

BRADESCO Agência 1125-8 Conta Corrente 59000-2
Enviar fax com o comprovante identificado para HAITI – (21) 2122.1911

Sugerimos às Igrejas e irmãos que estudem um plano de ajuda financeira emergencial para o Projeto “Juntos por um novo Haiti” da JMM que deverá ser depositado na conta da própria Junta. A idéia é que a Igreja defina por uma quantia durante um período, conforme a disponibilidade e autonomia de cada Igreja Local:

10 meses de R$100,00 – por exemplo! Isso poderá proporcionar que a Igreja invista mais em doses menores!

INTERCESSÃO MISSIONÁRIA

• Pelas famílias dos nossos obreiros, especialmente, a casal que perdeu seu filho.
• Pela Igreja: por perseverança, fé e coragem aos irmãos haitianos.
• Pelas equipes de resgate, militares e voluntários que assistem à população.
• Pelo Governo do Haiti e as Lideranças Mundiais que coordenam as ações.
• Pela Igreja Brasileira para que seja despertada a participar da reconstrução.


Fase II - Mantimentos

Embora nesta segunda o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República – GSI – tenha divulgado nota esclarecendo a população brasileira sobre doações ao Haiti onde designa a Secretaria Nacional de Defesa Civil para coordenar os esforços de arrecadação da população, a Defesa Civil divulgou no seu site que a responsabilidade de entrega no RIO DE JANEIRO (Base Aérea do Galeão) é por conta do doador.

Estamos realizando diversos contatos para estabelecer parcerias que viabilizem o translado dos gêneros até o Rio. SUGERIMOS QUE AGUARDEMOS PARA INICIAR A ARRECADAÇÃO, pois, certamente alcançaremos grandes volumes, porém, sem ter como repassá-los para serem transportados ao Haiti, corremos sérios riscos de disperdiçar e indisponibilizar para o consumo grande parte dos gêneros – a exemplo das arrecadações praticadas por outros órgãos quando dos furacões no Haiti em agosto de 2008, tsunami na Indonésia e Miamar.

Assim, queremos contar com a colaboração dos irmãos e de cada Igreja Batista para:

• Inscrever-se como Pólo de Arrecadação Comunitária: envie um email para juntosporumnovohaiti@gmail.com com Nome da Igreja, Pastor, Coordenador da Arrecadação, email’s e telefones para contato.

• Preparar (e aguardar para divulgar) uma faixa que identificará o local para ARRECADAÇÃO DE MANTIMENTOS PARA O HAITI.

• Verificar, dentre a membresia da Igreja, voluntários para trabalharem na Central de Arrecadação catalogando, empacotando e embarcando os gêneros, tão logo recebamos sinal verde para iniciar essa 2ª fase da Operação: envie um email para juntosporumnovohaiti@gmail.com com o nome completo, email e telefone para contato dos voluntários.

"Espere grandes coisas de Deus. Faça coisas grandes pra Deus".

Pr. André Bahia - "Juntos por um novo Haiti"
(61) 9209-1730 / 3392-2271 / 9126-6287

Postagens mais visitadas deste blog

Moringa e Chocolate "Made in Haiti" chegam ao Mercado Norte-americano

Porto Príncipe, 25 de fevereiro de 2016.
Por Haiti Libre

Dois novos produtos haitianos estreiaram no mercado Norte-americano no começo de fevereiro através da Rede "Whole Foods Market", em escala nacional: a "Moringa Green Energy", das Indústrias Kuli Kuli, e as barras de chocolate "Taza Chocolate". Os ingredientes destes dois produtos são comprados diretamente de pequenos produtores agrícolas do Haiti. Este acesso direto ao Mercado, combina ajuda aos agricultores melhorando e desenvolvendo suas capacidades, o que significa um aumento da renda, e beneficiamento dos consumidores nos Estados Unidos de produtos de alta qualidade.
No caso da Moringa, a pioneira é a Organização sem fins lucrativos "Smallholder Farmers Alliance (SFA)", com o apoio da Fundação Clinton. E para os grãos de cacau utilizados na fabricação das barros de chocolate, é a Companhia "Produits des Iles S.A (PISA)".
"Nós ajudamos a conectar os agricultores haitianos di…

Brasil deixará Haiti em 2016: 'Serei o último a partir', diz general

Luis Kawaguti Da BBC Brasil em São Paulo
23 outubro 2015



"Em outubro de 2016, as últimas tropas da ONU vão partir do Haiti. Vou ficar para o último avião e encerrar a missão militar", afirma à BBC Brasil o general brasileiro Ajax Porto Pinheiro, que assumiu há cerca de dez dias o cargo de comandante-geral das forças da ONU no país caribenho e coordenará no próximo domingo a segurança das eleições presidenciais haitianas.

O Conselho de Segurança da ONU determinou neste mês que a Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti) termine no dia 15 de outubro de 2016, ocasião em que a comunidade internacional espera que um novo presidente haitiano já esteja exercendo seu mandato.

O Brasil comanda o setor militar da missão desde seu início em 2004. Até agora, o governo brasileiro previa que seus 850 militares começassem a voltar para casa em algum momento no ano que vem. Mas uma data oficial não havia sido estabelecida.

Até outubro de 2016, a missão será mantida com o …

Lição de casa: plantar uma árvore!

BIDAmérica

Crianças de escola lideram uma iniciativa de reflorestamento numa aldeia de montanha no Haiti
Peter Bate
No Haiti, um país quase totalmente destituído de árvores, as crianças que freqüentam as escolas da comunidade de Saint Paul de Furcy estão fazendo mais do que sua parte habitual para combater os efeitos de uma história de desmatamento.

Numa tarde de verão, dezenas de alunos desceram por um caminho íngreme na montanha equilibrando pequenos cestos trançados na cabeça. Dentro de cada cesto havia uma muda cultivada num dos três viveiros de plantas mantidos por escolas locais. As crianças, com idade entre 5 e 12 anos, estavam a caminho de uma ravina próxima para plantar cedros, grevíleas e outras árvores perenes que ajudam a fixar o solo. Depois de firmar raízes, as árvores podem contribuir para estabilizar encostas e impedir deslizamentos como o que deixou uma enorme cicatriz de rocha nua e terra vermelha na montanha, bem em frente a um dos viveiros.

Centenas de crianças partic…