Pular para o conteúdo principal

AUTONOMIA SIM! INDEPENDÊNCIA NÃO!

“Se quisermos continuar sendo batistas autênticos, devemos primar por nossos princípios básicos, e um deles é a independência das igrejas. Por isso tudo e muito mais, não devemos incluir nenhuma cláusula restritiva à independência das igrejas nossos seus estatutos”. Pr Dinelcir de Souza Lima

Em seu artigo “BATISTAS DA CBB CAMINHAM A PASSOS LARGOS PARA A DOMINAÇÃO CLERICAL”, fui tomado de um sentimento de efervescência histórica grandiosíssimo. Pois este ato de expressão pública dos seus próprios sentimentos e ótica quanto à vida, à religião, à denominação, ao mundo, à própria Igreja, é um reviver do que sempre defendemos, e muitos até mesmo morreram por defender: a liberdade de consciência!
Posso até não concordar com o que foi dito e escrito, mas, morrerei, se preciso for, para defender o seu direito de, livremente, pensar e expressar seus pensamentos! – ISSO É SER BATISTA!
Assim, meu caro Pr. Dinelcir, creio que sua preocupação quanto ao “domínio clerical” em nossa Denominação é legítimo e necessário. Creio piamente no princípio da Autonomia da Igreja, e o defendo, prego e ensino diariamente, quer no púlpito, no gabinete, em casa, na vida. Contudo, quando me aproximava do fim da leitura do seu referido texto, uma preocupação ainda maior se apoderou de mim: chamou de INDEPENDÊNCIA, um dos nossos mais ‘sagrados’ princípios!
Independência foi o que D. Pedro, historicamente, declarou às margens do rio Ipiranga. O que nós, Batistas, sempre fizemos foi assumir o papel de agência do Reino, enquanto igreja local, absolutamente unidos ao Reino, à Igreja Total (não uso a expressão ‘universal’ para não confundir).
Independência é separação! Autonomia é depender com, é interdependência! Confundir ou associar estas expressões é tão sacrilégio quanto buscar pelos bastidores e outros meios escusos a “dominação clerical”.
Nós, Batistas, sempre tivemos e defendemos, e alguns inclusive morreram defendendo, o princípio da AUTONOMIA DAS IGREJAS, que, junto com o princípio da COOPERAÇÃO formam, ao meu ver, os dois pilares sustentadores desta histórica Denominação Cristã, os quais estão alicerçados, como não poderia deixar de ser, sobre a ROCHA que é, unicamente, Cristo Jesus – cabeça e Senhor da Igreja. Quando, historicamente, pastores e líderes confundiram este princípio criando para si o ‘princípio’ da independência levaram nossas igrejas autônomas e cooperantes ao isolamento. Construíram para si ministérios particulares (Igreja Batista ‘Fulana de Tal’ – Ministério Pastor ‘Sicrano’). Enfraqueceram nossas estruturas, tanto locais, quanto denominacionais, igualmente àqueles dos quais fez referência em seu artigo.
Também estou preocupado, meu amigo. Mas, espero vê-lo tão equilibrado e sóbrio na defesa dos nossos princípios, quanto aqueles que tem procurado um poder que jamais encontrarão em nossos arraiais, pois é, exclusivo, é do Senhor Jesus.

Pr. André Souto Bahia
Pastor da TIB em Águas Lindas/GO

Postagens mais visitadas deste blog

Sopa Receita Joumou - Sopa da Liberdade!

Pra quem gosta de cultura e culinária, ta aí a Sopa da Liberdade!
Era um prato dos Colonizadores, e os escravos não tinham acesso, até à sua Independência. A partir daí, anualmente, no dia 1º de Janeiro (Dia da Independência) eles a celebram degustando essa prato tipicamente Haitiano. Uma boa dica para as Feiras Missionárias no Brasil!
Sopa Receita Joumou
Sexta-feira, 4 de marco de 2011 16:24



O prato monumental da Revolução haitiana, Sopa Joumou, sopa de abóbora, E o Prato De conquistadores. E tradicionalmente servido no Dia da Independência do Haiti, 01 de janeiro, Como hum começo Saudável par o Outro ANO.

Ingredientes
- 1 kg de carne faça Pescoço OU rabo de boi
- 1/2 limão
- Sal fino
- Esmagado pimenta preta
- Água (Suficiente parágrafo cobrir uma carne; Mais Água podem Ser adicionados Mais Tarde parágrafo ajustar uma consistência)
- 2 kg abóbora, descascados e cubbed (alternadamente, utilizar abóbora enlatada)
- 1 cebola Pequena Cortada los cubos
- 2 Talos cebolinha verde picada
- 4 Dentes de…

Pós Furacão Matthew... oportunidade de fazer a diferença!

Nossa família e Equipe missionária estão bem, graças a Deus!
Já estivemos lá na região analisando os danos, prestando uma ajuda inicial a algumas famílias, e elaboramos uma proposta de Plano de Ação Emergencial para nossa agência. Estamos aguardando a decisão do Gabinete de Crise da Junta para agir em favor das vítimas. Ore por isso, ok?
Nesse momento o que é mais urgente é alimento e a restauração dos telhados e casas afetadas pelos ventos. Como a logística de armazenamento, transporte e envio do Brasil para o Haiti é bastante cara, demorada e vulnerável a questões aduaneiras, nossa sugestão é para que enviem recursos financeiros, e o que for arrecadado aí, como roupas, sapatos e outros itens, vocês realizem Bazares e Eventos (almoços ou jantares) para reverter os itens arrecadados em recurso financeiro que será bem mais facilmente transferido e revertido aqui na economia local, em alimentos e materiais de construção.
Para ajudar:
1) Através do "Ajude Agora Haiti" coordenad…

Moringa e Chocolate "Made in Haiti" chegam ao Mercado Norte-americano

Porto Príncipe, 25 de fevereiro de 2016.
Por Haiti Libre

Dois novos produtos haitianos estreiaram no mercado Norte-americano no começo de fevereiro através da Rede "Whole Foods Market", em escala nacional: a "Moringa Green Energy", das Indústrias Kuli Kuli, e as barras de chocolate "Taza Chocolate". Os ingredientes destes dois produtos são comprados diretamente de pequenos produtores agrícolas do Haiti. Este acesso direto ao Mercado, combina ajuda aos agricultores melhorando e desenvolvendo suas capacidades, o que significa um aumento da renda, e beneficiamento dos consumidores nos Estados Unidos de produtos de alta qualidade.
No caso da Moringa, a pioneira é a Organização sem fins lucrativos "Smallholder Farmers Alliance (SFA)", com o apoio da Fundação Clinton. E para os grãos de cacau utilizados na fabricação das barros de chocolate, é a Companhia "Produits des Iles S.A (PISA)".
"Nós ajudamos a conectar os agricultores haitianos di…